Furacao.com
Notícias

Entrevista | segunda-feira, 07 de dezembro de 2015, 22h56

Entrevista com Luiz Sallim Emed, da CapGigante

Por: Furacao.com

Foto Destaque

Luiz Sallim Emed, candidato da CapGigante [foto: divulgação]

A Furacao.com elaborou 14 perguntas sobre os temas mais importantes relacionados ao Clube Atlético Paranaense. As questões foram encaminhadas às assessorias de imprensa das duas chapas, com a informação de que as respostas seriam publicadas simultaneamente nesta segunda-feira. O texto das respostas não sofreu edição pelo site, sendo publicado da forma como redigido pela chapa.

Quem respondeu pela chapa CAPGIGANTE foi Luiz Sallim Emed. Ele é candidato à presidência do Conselho Administrativo. Mário Celso Petraglia é o candidato à presidência do Conselho Deliberativo.

Luiz Sallim Emed tem 66 anos e é diretor médico do Hospital Nossa Senhora das Graças. Ele é formado em Medicina pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (1974). Tem três filhos e é vice-presidente do Conselho Administrativo do Atlético.

Confira as propostas da CAPGIGANTE (número 11):

1) Por que você merece ser eleito para dirigir o Clube Atlético Paranaense nos próximos quatro anos?
A medicina me ensinou a entender o corpo e a alma das pessoas. Saberei administrar a paixão atleticana. Estou preparado, pois aprendi nos últimos quatro anos como lidar com a grandeza do Atlético e torná-lo ainda mais forte e maior.

2) Desde 2009 o time profissional do Atlético não conquista nenhum título. Como se pretende quebrar esse jejum?
Com a infraestrutura do Centro Administrativo e Técnico e do estádio, que está pronto, vamos investir em futebol e colher os frutos. A torcida está ávida para saber se Weverton e Walter ficarão. O Weverton vai ficar e estamos negociando os últimos detalhes com o Walter. Além disso, não negociaremos os demais atletas que despontaram neste ano. E também já estamos em negociação com outros atletas para vestir o manto sagrado atleticano.

3) O clube terá condições de investir na contratação de jogadores titulares de outros clubes da Série A?
Sim. Agora os recursos que eram destinados em obras serão investidos na contratação de jogadores já reconhecidos com espírito vencedor e com a raça que a torcida e a diretoria exigem.

4) Qual é o projeto para o futebol para o curto, médio e longo prazo?
Para curto prazo, manter os destaques da equipe, pois a partir de agora teremos mais recursos para manter os principais talentos e contratar atletas já reconhecidos com potencial de assumir a posição de titular. O nosso Clube já é Campeão. O objetivo agora é vestir as faixas dos títulos dos campeonatos que disputaremos. Vamos continuar com a atenção as novas tecnologias para melhorar a performance dos atletas, além de buscar receitas (melhoria no rateio das cotas de TV, shows e outros eventos) para investimento no futebol. Oitenta por cento da arrecadação do Clube é o valor máximo que a lei permite para ser investido em futebol. Este percentual será aplicado no futebol com prioridade. Para médio prazo, vamos manter a nossa tradição que é a formação de jogadores com o espirito atleticano. Vamos fortalecer as parcerias internacionais. E para longo prazo, as ações serão continuadas de formação com a busca de atletas prontos. O objetivo é ser campeão do mundo até o centenário em 2024.

5) Qual é a política da chapa com relação à captação de atletas e à gestão das categorias de base?
A formação é a tradição do Atlético, pois é o celeiro de novos craques. Será continuada e aprimorada com as ferramentas de identificação dos melhores talentos. Manteremos os "olheiros", estimularemos as novas Escolas Furacão e parcerias com outros clubes.

6) A chapa é favorável à instalação de grama artificial na Arena?
Sim. Este tipo de gramado de quarta geração tem muitas vantagens em relação a natural. A prática do jogo será melhor, possibilitará a realização de mais jogos, torneios e outros tipos de esportes sem comprometer o gramado, além de diminuir o risco de lesões. Possibilitará a realização de jogos preliminares de jovens e de masters. Garantirá a realização de shows sem agredir o gramado. A manutenção será muito mais econômica.

7) Quais são as estratégias para tornar a Arena economicamente rentável ao clube?
O planejamento é viabilizarmos o pleno uso do Estádio para geração de renda. Serão realizados shows, eventos de grande, médio e pequeno porte, maior número de partidas (que serão possíveis graças ao gramado sintético), venda das propriedades do Estádio (como, por exemplo, o naming rights) e a implantação do centro de entretenimento e convivência, o novo Boulevard que vai transformar o estádio em uma referência na gastronomia curitibana.

8) Se o acordo tripartite não for honrado pelo valor total da obra, qual atitude será tomada?
Foi definido no acordo tripartite que a divisão será em três partes iguais para o Atlético, Governo do Estado do Paraná e Prefeitura de Curitiba. O valor final das obras do estádio auditado por consultoria externa, Fomento e outras Instituições foi de R$ 346 milhões. Atlético e Governo do Paraná entenderam e aceitaram este valor. Falta a Prefeitura, que ainda não aceitou por interpretação diferente. As negociações estão em andamento e estou certo que o acordo chegará a bom termo. Das três partes, duas já aceitaram. Importante informar a torcida que nada comprometerá os investimentos no futebol.

9) A chapa pretende dar continuidade ao “Complexo Arena”, com a construção, por exemplo, da Areninha? Em caso positivo, como pretende viabilizar recursos para a obra?
A Areninha faz parte do plano diretor de obras, mas o modelo de construção será diferente. Ela será construída com investimento de terceiros para não sair dinheiro do futebol para mais construções.

10) Existe a possibilidade de redução do valor dos ingressos avulsos e também das mensalidades dos planos de associação? Como se pretende aumentar a média de público no estádio?
O nosso principal objetivo é atingir a capacidade plena dos torcedores 40 mil sócios, pois todos estarão fidelizados e com benefícios. Temos um estudo, quando atingirmos os 40 mil sócios, para que o sócio que não comparecer ao jogo possa receber o valor do ingresso, que o Atlético depositará na conta corrente dele. Este modelo será utilizado para benefício do sócio. O valor do ingresso avulso será definido para evitar o desinteresse do torcedor deixar de associar. Quem ama este clube deve oferecer vantagem coletiva e não individual.

11) Qual a opinião da chapa sobre torcidas organizadas e como será o relacionamento da gestão com a Fanáticos e a Ultras?
Serei o presidente de todos os atleticanos. A paz deve ser prioridade. Violência não combina com futebol. Nosso plano são ações sociais e toda a energia das organizadas serão canalizadas para o bem social. Alguns projetos já foram desenvolvidos com excelentes resultados.

12) Nas últimas semanas, o Atlético anunciou diversas mudanças no Plano de Sócios e posicionamento da torcida no estádio. Caso eleita, a chapa pretende manter o plano atual ou existe um projeto de novas modificações?
O Plano de sócio da CAPGIGANTE é:

- Atrás dos gols (tanto do lado da Buenos Aires e Coronel Dulcídio) =R$ 100 mês. Com a média de 3 jogos ao mês, o valor será de R$33,33 por jogo.

- Espaço da Getúlio Vargas e Brasilio Itiberê = R$ 150,00 mês. Com a média 3 jogos ao mês, o valor será de R$ 50,00 por jogo.

Importante afirmar que o plano de sócios proposto pela chapa da oposição será muito difícil, senão impossível de operacionalizar na estrutura atual do estádio.

13) Qual é a sua opinião sobre a chapa adversária nas eleições do clube? Caso a sua chapa seja eleita, existe a chance de aproveitar algumas das ideias e componentes da outra chapa?
Já disse que vou ser o presidente de todos os atleticanos. Todas as boas ideias apresentadas serão analisadas e se demonstrarem realmente benéficas, serão aproveitadas. Acreditem, quero o melhor e o melhor para o Atlético.

14) O que você diria para o eleitor que está indeciso em que chapa votar na eleição do dia 12?
Os integrantes da oposição já estiveram lá e nos levaram para a segunda divisão. Não só isso, eles atrasaram o projeto do clube. Foram responsáveis pela contratação do Morro Garcia, maior investimento na aquisição de um jogador no futebol paranaense. Um desastre. Deixaram 4 milhões de reais em ações trabalhistas com vários atletas por falta de controle no Recursos Humanos. Falta a experiência de gestão devido a magnitude atual do Atlético. Colocarão em risco o projeto do Atlético. São interesses tão diferentes entre eles, que "lotearam" o clube apenas para tentar ganhar a eleição e assim deixam o clube sob risco. A oposição afirmou que vai tomar pé das coisas e que o primeiro ano será de cautela. Isto atrasará o projeto. A CAPGIGANTE, pela experiência, sabe fazer. Já estamos em pleno trabalho e temos uma rede de relacionamento muito grande, além de credibilidade que permite acelerar a e dar segurança em fazer. A grande diferença é que nós fizemos. Isso já está consolidado, transformamos um clube local em internacional. Nós sabemos fazer. A oposição só promete. Incrementaremos a comunicação com a torcida e imprensa. Tornaremos o plano de sócios mais acessível. Teremos a área de entretenimento e gastronomia no estádio. Vamos trabalhar por mais representatividade no cenário nacional para melhorar a distribuição dos recursos/cotas de TV entre as equipes. Por fim, porque com a CAPGIGANTE seremos campeões. O clube é campeão. O projeto é campeão. Venha vestir a faixa conosco. Vote CAPGIGANTE número 11.

Facebook  

Matéria do site Furacao.com:
http://www.furacao.com/materia.php?cod=47203

© Furacao.com. Todos os direitos reservados. Reprodução permitida desde que citada a fonte.

Desde 1996 - Furacao.com - Site 100% não oficial - Agência Active