Geral
Coordenação
Infantis
Juvenis
Juniores


Departamento de Formação

como funciona o departamento de revelação de atletas do Furacão


Demorou muito tempo para o Atlético dedicar esforços para as categorias de base. Mesmo sem investimentos, o clube revelou ao longo de sua história diversos jogadores que brilharam no time profissional e deram alegrias à torcida. A inauguração do CT do Caju foi o primeiro passo para transformar o Furacão em uma potência nacional na revelação de atletas. Porém, foi somente a partir de 2001 que o clube colocou em prática um planejamento para as categorias de base, sob o comando do coordenador Vinícius Soares Eutrópio. Desde então, uma equipe de mais de vinte profissionais - entre assessores administrativos, técnicos e médicos - vem trabalhando intensamente para conquistar títulos e formar grandes atletas, tanto dentro de campo como fora dele.
 

CT do Caju: estrutura é fundamental para a formação de novos talentos

Atualmente, a supervisão do departamento de formação do Atlético está a cargo de Cleocir Santos, o Tico. O clube possui três times disputando competições oficiais: infantis (até 15 anos), juvenis (até 17 anos) e juniores (até 20 anos). Muitos deles moram no CT do Caju e foram contratados pelo clube através de olheiros espalhados por todo o país. Além disso, são realizados testes para seleção de atletas durante todo o ano.

Seleção de atletas

Um dos pontos fundamentais para o sucesso do departamento de formação é a seleção dos jogadores. Basicamente, há duas maneiras para recrutar novos atletas: através de peneiras ou de indicação de olheiros espalhados pelo Brasil.

As peneiras são realizadas regularmente em cidades da grande Curitiba, como Colombo, Araucária e Fazenda Rio Grande e eventualmente em cidades do restante do Brasil, como Feira de Santana, Promissão, Belo Horizonte e Campinas. Os atletas pré-selecionados são encaminhados para testes no CT do Caju.

A comissão de avaliação do Atlético recebe semanalmente cerca de 20 a 30 jogadores com idades entre 12 e 18 anos. O sistema é rigorosamente o mesmo para todos: os garotos chegam na terça-feira e passam uma semana no clube. Lá, são instalados em alojamentos próprios. Passam por exame médico, são cadastrados e têm consultas psicológicas. No primeiro dia, os treinos são leves e visam apenas ao relaxamento.
 

Semanalmente são realizadas peneiras para selecionar novos atletas para todas as categorias

Os treinos de avaliação propriamente ocorrem na quarta, na quinta e na sexta, em dois períodos, um pela manhã e outro à tarde. Os treinos da tarde ocorrem às 16h30. Desta forma, podem ser assistidos por todos os membros das comissões técnicas de todas as categorias. Os jogadores são avaliados ainda sob critérios objetivos: o melhor rendimento físico e técnico de atletas do Atlético.

O clube se preocupa também com a maneira como a qual o jogador é liberado, caso não seja aprovado. Todas as dispensas são feitas pessoalmente pelo coordenador e, depois, os jogadores têm a possibilidade de conversar novamente com o psicólogo do clube.

Após, todos recebem um comprovante que realizaram testes no Atlético, jantam e são levados novamente à rodoviária através do transporte oferecido pelo clube. Já os aprovados passam a treinar com as respectivas categorias e, eventualmente, passam por fases de adaptação e treinos individuais para aperfeiçoar determinados fundamentos.

Para saber mais sobre os testes das categorias de base, ligue para a sede do Atlético: (41) 2105-5600.

Orientação técnica

O ponto fundamental do projeto para o departamento amador foi a promoção da união de todas as categorias (infantil, juvenil e júnior). Atualmente, as três equipes jogam com o mesma esquema tático (3-5-2) e há total integração das comissões técnicas. O técnico do infantil é auxiliar do vuvenil, que por sua vez auxilia o dos juniores. Ou seja, todas as categorias estão interligadas.

O trabalho dos três técnicos é supervisionado por Marco Antonio Biasotto na área técnica e por Oscar Erichssen na área física. Há reuniões semanais entre todos os técnicos para discussão dos treinamentos de todas as categorias e de atuações individuais dos atletas. Na realidade, todos os técnicos e o coordenador formam uma grande comissão técnica geral do departamento de formação do Atlético. Eles assistem a todos os jogos de todas as categorias e têm a liberdade para dar conselhos aos companheiros. Os jogos são filmados e arquivados no clube.

 
Trabalho desenvolvido resulta em títulos e na revelação de jogadores

As fitas são assistidas pelos técnicos, que analisam o desempenho coletivo e individual do time. Com base nas observações extraídas da reunião da comissão é que são elaborados os treinos da semana seguinte. Assim, os treinamentos sempre são constituídos de duas partes: uma geral, destinada a todos os atletas e outra específica, para cada atleta, de acordo com suas necessidades.

Além disso, há as chamadas "palestras táticas", através das quais os treinadores transmitem orientação tática para seus atletas com o uso de recursos de multímida. O programa mais empregado é o "Tática 3D", um software que simula situações de jogo e de treino. As reuniões contam também a interação dos atletas, que debatem sobre o melhor sistema a ser utilizado.

Formação integral

O Atlético não é apenas um clube de futebol para os garotos que moram no CT do Caju. É a casa deles. Por isso, o departamento de formação oferece atividades extra-futebol aos atletas, que incluem recreação, ação social, orientação educacional, tratamento médico e palestras sobre os mais diversos temas.

A recreação é realizada através de um convênio com uma Universidade. Alunos da instituição são responsáveis por elaborar programas de diversão aos garotos das categorias infantil, juvenil e juniores. Dentre as atividades estão gincanas, brincadeiras e jogos realizados no próprio CT, passeios a pontos turísticos de Curitiba e aulas de outras modalidades esportivas.

 
Jogadores desenvolvem atividades extra-campo, como jogos educativos e passeios

A cada dois meses, os jogadores participam de ações sociais promovidas pelo clube, como a entrega de doações para entidades carentes. Assim, há visitas a instituições que ajudam crianças abandonadas e doentes (foto acima) e é incentivado o relacionamento dos atletas com os beneficiados.

Além disso, todos os jogadores do departamento de formação do Atlético estudam e recebem do clube orientação educacional visando a um melhor aproveitamento na escola. No próprio CT do Caju é ministrado um curso supletivo e existe apoio para os que estudam fora. Além disso, há uma biblioteca e uma sala de estudos na sede principal do CT. Os jogadores recebem também tratamento médico especializado. Graças a um convênio com uma Universidade, todos os atletas recebem tratamento fisioterápico semanal e têm consultas com os médicos do clube.

 

 
Últimas Notícias